quinta-feira, 11 de junho de 2020

Durante isolamento, número de acidentes em rodovias federais reduz 36,9% no Ceará

Desde o início das medidas de isolamento social no Ceará, no dia 20 de março, até o final de maio, as rodovias federais apresentaram queda no número de acidentes de trânsito em relação ao ano passado. Até o dia 31 do mês passado, as estradas cearenses registraram 188 ocorrências, 36,9% a menos do que contabilizado em 2019, com 298 acidentes. Os dados foram enviados pela Polícia Rodoviária Federal do Ceará (PRF/CE) para o Sistema Verdes Mares.

Houve queda, ainda, no número total de feridos. No ano passado, 358 vítimas foram registradas pela PRF nas vias. Em 2020, a quantidade reduziu para 208, uma queda de 41,9%. O total de vítimas fatais também caiu, apesar de em menor valor. Durante o isolamento social foram contabilizados 22 mortos contra 20 casos no mesmo período do ano anterior.

O inspetor Flávio Maia, chefe de comunicação social da PRF, defende ainda que a redução no fluxo não foi a única influência nos números.. “Foi feita uma reanálise dos dados e o policiamento foi direcionado aos locais com maior número de acidentes. As viaturas e policiais em pontos estratégicos, de forma preventiva, contribuiu também para a queda no total”, avalia o inspetor.

Acidentes relacionados a incêndios apontaram a maior baixa. Nenhuma ocorrência do tipo foi contabilizada nas rodovias federais entre 20 de março e 31 de maio. Em 2019, a quantia acumulada no período foi de 5 casos.

Mesmo com a redução em números absolutos, acidentes envolvendo derramamento de carga aumentaram no Ceará. Três ocorrências foram registradas neste ano contra uma em 2019.

“A maior parte dos acidentes foram por problemas mecânicos. É difícil uma outra prevenção, além dos cuidados tradicionais com os automóveis”, salienta Flávio.

Os casos fatais na Capital também apresentaram redução, de acordo com a Autarquia Municipal de Trânsito e Cidadania (AMC). A redução atingiu 18,9% no número de mortes nesse intervalo de 2020, se comparado ao de 2019. Foram 679 acidentes de trânsito com vítimas em Fortaleza, 57,7% a menos que o observado em igual período do ano passado. Na ocasião, foram contabilizadas 1.605 ocorrências desse tipo. As informações foram divulgadas pelo Sistema de Informações em Acidentes de Trânsito (SIAT) em parceira com a AMC.

Infrações

Além do número de vítimas, a Autarquia percebeu ainda a redução no número de infrações durante a quarentena. Em relação ao total de acidentes em Fortaleza, de 20 de março a 31 de maio de 2019, foram registrados 3.643; já neste ano, diminuíram para 1.057 – 71% a menos

“Desde o início desse momento de isolamento social, nós tivemos uma redução geral no nível de circulação das vias na cidade. Isso teve um resultado muito interessante, que foi uma diminuição na quantidade de infrações que aconteceram na cidade”, avalia André Luis Barcelos, assessor técnico da AMC.

Nos primeiros quatro meses de 2020, a cidade registrou 142.694 infrações, 190 mil a menos do que em 2019, com 332.577. Transitar em velocidade superior à máxima permitida em até 20% foi a infração mais contabilizada nos dois períodos: 70.835 do acumulado recente contra 157.029 do ano passado. A infração gera multa de R$ 130,16 e quatro pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

É a velocidade que fica mais em evidência no isolamento. Barcelos faz o alerta: a infração pode prejudicar também o atendimento na rede púbica de saúde. “Qualquer velocidade a mais pode provocar um acidente que requer um leito que vai fazer falta para pessoas em tratamento da Covid-19, além de ser uma grande tragédia para cada pessoa envolvida”, afirma.

Com informações do Diário do Nordeste.