sexta-feira, 8 de maio de 2020

Ceará tem cinco óbitos por coronavirus em asilos para idosos

Ceará tem cinco óbitos por Covid-19 em asilos para idosos — Foto: Reuters/Thilo Schmuelgen
Foto Reuters/Thilo Schmuelgen
Ceará registra cinco óbitos confirmados por Covid-19 e um caso suspeito nas Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), de acordo com a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa). O município de Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, registrou dois óbitos de idosos, um confirmado e outro suspeito, em uma mesma ILPI, apesar da adoção de plano de contingência e a suspensão de visitas no local.

Na quarta-feira (6), o Ministério Público realizou uma visita técnica na instituição de Caucaia onde ocorreram as duas mortes. O órgão, responsável por fiscalizar periodicamente as sete ILPIs do município, buscou verificar o cumprimento do plano de contingência da doença e testar todos os idosos e funcionários da ILPI.

Espera por exame

O primeiro paciente faleceu em 1º de maio, com confirmação para Covid-19, no Hospital Municipal de Caucaia. A segunda idosa, levada à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Centro de Caucaia no sábado (2), faleceu na última terça-feira (5), apresentando sintomas da doença. A família ainda aguarda o resultado do exame.

“Eu gostaria de falar para as pessoas, principalmente idosos, que não é brincadeira, não é uma gripezinha. As pessoas têm que entender e fazer a sua parte. As coisas não se resolvem em uma quarentena sem responsabilidade social”, diz a familiar de uma das vítimas.

Medidas

Com a pandemia de coronavírus, o Ministério Público recomendou a elaboração de um plano de contingência para as ILPIs, buscando resguardar a saúde de idosos e funcionários. Dentre as medidas havia a adoção das normas de proteção e saúde, determinadas pelas autoridades sanitárias do Ministério da Saúde, assim como a suspensão de visitas de familiares. O contato remoto seguia sendo permitido.

Nas ILPIs de Caucaia, todos os idosos institucionalizados foram vacinados com a vacina contra a H1N1 em maio, com o apoio da Secretaria Municipal de Saúde e do Conselho Municipal do Idoso.

No Ceará, as ILPIs seguem sendo monitoradas pelo Ministério Público, verificando informações como quantidade de idosos abrigados, casos suspeitos e confirmados de Covid-19, internações e óbitos, ações de prevenção e equipamentos de proteção individual.

Com informações do Diário do G1 Ceará.