sábado, 30 de abril de 2016

Juazeiro do Norte: Paciente com câncer realizará sonho de casamento no HRC, na segunda-feira, dia 2

banner_casamento_hrc (1)

A luta contra o câncer uniu ainda mais a família. Há cerca de quase dois meses, Sandra Raquel Nogueira Pereira, 36 anos, está internada no Hospital Regional do Cariri (HRC), da rede pública do Governo do Estado, em Juazeiro do Norte. Hoje, a paciente já não tem mais condições de andar, mas mantém firme o sonho de casar no religioso. Mesmo diante do quadro de saúde, ela e o companheiro Sérgio decidiram pela cerimônia dentro no próprio hospital. Toda a equipe do HRC está envolvida, desde médicos, enfermeiros, assistentes sociais e diretores do hospital. O ato acontece na próxima segunda-feira, 2 de maio, às 10 horas, no espaço ecumênico do Hospital Regional do Cariri.

Sandra Raquel sempre teve a vida cheia de lutas, conquistas e perdas. O que ela nunca perdeu foi a esperança de ter os sonhos realizados. Determinada, sempre buscou no trabalho como manicure e diarista uma forma de junto com o companheiro Sérgio Pereira, com quem vive há 16 anos, proporcionar aos três filhos melhores condições de vida. A rotina da família mudou depois de 2015. Em setembro, após sentir pequenas pontadas no útero, buscou um médico e o resultado pegou todos de surpresa. Sandra foi diagnosticada com neoplasia no colo de útero.

O vestido, o bolo e as alianças já foram providenciados, frutos de doações. “Sempre sonhei em casar diante de Deus. Eu e meu marido estamos juntos há 16 anos, casamos no cartório, mas como toda mulher, não me sentia completa sem ter a bênção de Deus, que é quem me dá forças para suportar o que venho enfrentando. Já até tínhamos pensado sobre o assunto, mas com pouco dinheiro e muita coisa para fazer, o sonho sempre era adiado. Agora, vou casar com o Sérgio e ter a certeza de que Deus está nos abençoando”, afirmou.


DSC_0011

A assistente social do HRC, Tinciane Oliveira, que está à frente dos preparativos, destaca a importância desse momento de humanização para com a paciente e também toda a família – “Num momento de dor como esse, de sofrimento, a pessoa ainda tem forças para sonhar, por ter Deus ao seu lado. E como uma das premissas do hospital é a humanização, não tínhamos como deixar essa história, ímpar, passar despercebida”.




Fonte Diário do Nordeste